14/12/2016 – Projeto EM: Biotecnologia

Projeto do Ensino Médio: Biotecnologia

Por: Tatiana Maria de Paula Silva | 5 de dezembro de 2016.

O projeto de Biotecnologia, desenvolvido e orientado pelo professor Marcos Engelstein para os estudantes do 1º ano do Ensino Médio, descortina essa ciência aplicada, a qual integra os conhecimentos relacionados às Ciências Naturais e à Engenharia na transformação de materiais por meio de agentes biológicos.

Com base no conceito de Biotecnologia, em seu uso e nas informações fornecidas por profissionais dessa área de atuação, os alunos descobrem, entre outras coisas, as possibilidades que envolvem a manipulação dos genes e o uso de agentes biológicos a favor da sociedade na fabricação de bens e em processos tecnológicos e industriais.

Nas aulas práticas, ministradas no laboratório do Colégio e nas visitas ao laboratório do Museu de Microbiologia do Instituto Butantan, os alunos fizeram experimentos de culturas de bactérias e de reconhecimento de organismos em amostras de células vegetais e animais. Entraram em contato com o espaço, equipamentos e normas laboratoriais e aplicaram procedimentos e técnicas para experimentos.


Para entenderem a importância dos procedimentos e dos métodos na aplicação do conhecimento científico, o professor propôs uma série de experimentos de análise e comparação de amostras, entre eles a comprovação da eficiência de produtos de limpeza e de enxaguantes bucais.

Mais do que discutir técnicas, experimentos e a função da Biotecnologia, o projeto estimula a reflexão sobre assuntos relacionados à ética na manipulação genética para fins comerciais e para o desenvolvimento da ciência com enfoque no seu benefício para a humanidade e o meio ambiente. As discussões nas aulas percorrem desde a mutação transgênica à clonagem de células e às técnicas de combate a doenças na produção de medicamentos e vacinas.

Segundo o professor Marcos, em meio aos objetivos do projeto está o de estimular a curiosidade científica nos alunos e dar elementos para que eles construam seu conhecimento e desenvolvam suas ideias com base em pesquisas.

Para o aluno Gabriel Furlanetto Battistuzzo, o projeto colaborou para desmitificar alguns conceitos de Biotecnologia e adquirir conhecimentos novos sobre DNA e experimentos. Para ele, o projeto foi tão instigante que despertou a curiosidade até dos alunos que inicialmente não se interessavam pelo tema.

O aluno Pedro Fonseca sempre gostou de assuntos relacionados à Biotecnologia e Ciências. “No projeto, gostei dos experimentos com vírus e bactérias nas saídas ao laboratório do Instituto Butantan. Foi interessante o experimento que fizemos no Colégio sobre a eficiência dos enxaguantes bucais. Nessa atividade, ficou evidente a importância dos procedimentos, da interpretação dos resultados e da necessidade de testes para a precisão da conclusão”, explica Pedro. Para ele, também foi extremamente positivo as discussões de questões éticas que envolvem experimentos. “É muito importante e necessário o Colégio proporcionar espaços para essas discussões. Como o professor Marcos colocou, o importante é não ser um analfabeto científico. Não é preciso saber sobre tudo, mas ter uma noção e saber buscar informações”, conclui Pedro.

Ao final do projeto, o professor apresentou cinco propostas de temas e os alunos em dupla escolheram um para pesquisarem e apresentarem aos demais. Foram apresentados trabalhos sobre clonagem, transgênicos e sobre o uso comercial da biotecnologia.