23/03/2017 – Copa Diggio 2017

10ª edição da Copa Diggio estreia no Colégio Miguel de Cervantes
Em 18 de março, 25 colégios participaram do festival e da competição

Por: Tatiana Maria de Paula Silva |20 de março de 2017.

A Copa Diggio, considerada a maior competição de futsal dos colégios particulares de São Paulo, é disputada de março a novembro. Em sua 10ª edição, a competição conta com a participação de mais de 60 colégios, com 350 equipes e, no total, 3300 alunos participantes.
O evento, que foi distribuído por todo complexo esportivo do Colégio, reuniu mais de 300 jovens atletas para os jogos de futsal do festival e da 1ª rodada da competição. Passaram pelo Colégio mais de 1300 pessoas prestigiando o evento.

Para Eduardo Longhi, um dos idealizadores da Copa Diggio, a 10ª edição traz um balanço positivo de trabalho e apoio dos Colégios participantes. “Em 2008, começamos com apenas oito colégios e oito equipes. Hoje temos 60 colégios e mais de 300 equipes só no futsal, sem contar o basquete e o vôlei, que estão crescendo como modalidade dentro da Copa. Ao longo desses anos contamos com patrocinadores, que viabilizam a organização, e parceiros, como o Colégio Miguel de Cervantes, que nos empresta sua estrutura, uma das melhores para se fazer um evento como esse, disponibilizando um espaço com seis quadras e um grande campo, onde conseguimos realizar dois jogos simultaneamente”, comenta Eduardo.

Para Romolo e Fabiana Megda, pais dos alunos Pedro e João Lopes Megda, o evento reforça o desenvolvimento que o esporte traz aos jovens. “É um evento que transcende o esporte e amplia o sentido de formação cidadã, pois a criança aplica o comprometimento com os colegas e com os professores, o respeito ao adversário e um grande número de ensinamentos que permeiam o esporte, os quais ela vai levar para a vida”, afirma Romolo. “Em vários sentidos, o esporte complementa o aprendizado da criança, pois ela aprende a perder, a lidar com o medo e com a ansiedade e também é estimulada a superar desafios. Além disso, em eventos como esse, elas se relacionam com crianças de outras escolas e aprendem a respeitar o outro”, completa Fabiana.

Marcela, mãe do aluno Gabriel Corrêa Figueiró, do 2º C, que participa pela primeira vez do evento, acredita que o esporte favorece a formação de pessoas melhores. “A criança cresce em relação ao trabalho em equipe, aprende a não desistir, a tirar lições de seus erros e transpor as dificuldades, modelo que ela também levará para o dia a dia escolar, no qual ela também precisa de superação e disciplina. Além disso, a competição favorece a aceitação, por exemplo, de quando o adversário é melhor, bem como o reconhecimento no outro de um exemplo a seguir”, conclui Marcela.


Fotos: Tatiana Maria de Paula Silva

O meio-campista do Esporte Clube Palmeiras, Michel Bastos, que veio prestigiar seu filho nas partidas, acredita que o futebol é muito importante para a formação das crianças e jovens. “Tenho certeza de que, além da prática esportiva ser um grande benefício para a saúde, ela também agrega muitas outras habilidades e contribui para a formação cidadã das crianças e jovens”, afirma Bastos.

Para o professor Luiz Sergio Russo, que trabalha no Colégio Miguel de Cervantes há 22 anos, o esporte é a base para a formação da criança. “O esporte contribui para o amadurecimento da criança e desenvolve valores como o respeito e a tolerância. Em eventos esportivos, ela tem o laboratório para praticar esses valores no momento em que convive com os adversários em um clima de amizade e confraternização”, afirma Luiz Sérgio.

 Imagens: Tatiana Maria de Paula Silva / Edição e produção: Fabio Corrêa Altafim