30/06/2017 Projeto Cine CultS

Projeto do Ensino Médio: Cine CultS

Debater e refletir sobre o cinema enquanto arte, argumentar e questionar as produções da cultura da mídia e distinguir o caráter do cinema enquanto ferramenta de interlocução com a realidade são algumas das análises propostas no projeto Cine CultS, orientado pela professora de filosofia Maira de Cinque Pereira da Costa, oferecido para os alunos do 1º ano do Ensino Médio.

O projeto traz para o universo jovem clássicos do cinema e filmes alternativos e de cinema de arte com mensagens de conteúdo reflexivo sobre problemas sociais e questões relacionadas ao cotidiano. Em sala de aula, ou visitando cinemas de rua especializados na exibição dessas produções, os alunos analisaram e refletiram sobre essa forma de linguagem e seu papel na indústria cultural e de entretenimento.

Por meio da exibição integral de filmes como The Child, Janela Indiscreta, Prayers for Bob, Pão e Rosas, Zonda e outros, além de exibições parciais de ícones do cinema como Rosa Púrpura do Cairo ou A Chinesa, os estudantes puderam dialogar sobre senso comum, metalinguagem, relativização da existência e análise estética das produções.

Os alunos também trouxeram para a discussão fenômenos atuais, como a propagação e influência da indústria oriental dada pela difusão das séries dos animes japoneses e novelas coreanas.

Durante o semestre, além das sessões de cinema, os alunos tiveram a oportunidade de participar de palestras, como as aulas sobre produção de vídeo, com a professora Thaís Carrapatoso1, e sobre dublagem, com o ator e diretor de dublagem Fabio Lucindo2.

A programação diversificada do projeto também incluiu a visita à exposição sobre os Panteras Negras, no Sesc Pinheiros, onde os alunos tiveram a oportunidade de discutir sobre organização política, manifestação ideológica e o papel do negro  na arte e no cinema.

Para o aluno Sérgio David Abreu, do 1º B, o projeto surpreendeu e possibilitou troca de conhecimento entre os colegas. “Sempre me interessei por cinema e pensei que nos dedicaríamos muito às partes técnicas de produção. Eu me surpreendi porque fomos muito além disso. A professora Maíra trouxe para o debate aspectos humanos importantes. Os encontros proporcionaram uma interação e uma liberdade de discussão entre os colegas que não temos oportunidade de exercitar em outros momentos”, comenta Sérgio.

Para a aluna Charlotte Hélène Erler Von Erlea Chamouton, 1º B, as aulas promoveram a ampliação do repertório crítico sobre cinema.  “O projeto abriu os meus olhos, porque nos aprofundamos muito em questões sociais e outros assuntos polêmicos. Durante essas conversas, percebemos a conexão dos filmes com a vida real. Eu entrei uma pessoa e estou saindo completamente outra desse projeto. Outra experiência interessante foram as saídas aos cinemas de rua.  Alguns eu não sabia que existiam, e esses momentos promoveram uma interação gostosa com o grupo”.

Gabriela Onias Scherf, do 1º D, recomenda o projeto aos colegas do 1º ano. “Nós vimos durante as aulas muito filmes a que não assistiríamos em casa ou no cinema. Isso contribuiu para uma mudança de atitude em relação às escolhas dos filmes que veremos daqui para frente. O projeto é muito completo, tivemos palestras, vimos filmes e visitamos uma exposição sobre Panteras Negras que proporcionou uma discussão sobre como nossa sociedade ainda é preconceituosa e como o negro é retratado no cinema. ”