Projetos do Ensino Médio: uma nova perspectiva de trabalho pedagógico

Por: Kátia Pupo

A palavra “projeto” deriva de projectu, significa algo como “lançar para diante” e traz, em seu bojo, a ideia de realizar algo no futuro. Esse sentido, quase poético, certamente, foi inspiração para que a Direção Pedagógica do Colégio Miguel de Cervantes propusesse a inserção, na grade curricular do Ensino Médio, em 2005, dos “Projetos”.

A idéia era oferecer aos alunos dos 1º e 2º anos do Ensino Médio um caminho diferente para a construção de conhecimentos, que fugisse dos “programas curriculares” habituais e que possibilitasse aos nossos alunos e alunas o contato com diferentes e instigantes temas da atualidade. Temas que, na busca de relações entre os fenômenos naturais, sociais e pessoais, pudessem ajudá-los a compreender melhor a complexidade do mundo em que vivemos. Buscamos enveredar por assuntos que despertassem olhares para diferentes objetos de estudo e, quiçá, pudessem indicar caminhos profissionais.

Os professores e professoras, engajados na elaboração e execução dessa modalidade de trabalho oferecida aos estudantes, entendem os “Projetos” como uma estratégia que traz uma nova perspectiva à ação pedagógica. Sustentados pela concepção teórica de Edgar Morin; que afirma que a “estratégia” é uma ação que pressupõe decisões, escolhas, apostas e, logo, incertezas; esses profissionais assumiram os riscos de propor uma ideia inicial, um ponto de partida, mas sem um programa pré-determinado.

Fazer parte de um grupo de “Projeto” implica, pois, ter metas para serem alcançadas num futuro em aberto, a ser construído por todos os estudantes que dele participam ou ainda por cada um em particular. Participar de uma experiência desse tipo ajuda a compreender que construir o futuro depende de nossas metas e ações e que podemos construí-lo juntamente com outras pessoas, mas que ninguém pode construí-lo por nós.

As experiências vividas desde 2005 nos estimulam a continuar investindo nessa modalidade de trabalho pedagógico que, assim como toda ação educativa, atua na perspectiva da construção de um “Projeto de vida”.


Foto: Silvio Canella

Em 2016, foram oferecidas as seguintes possibilidades:

A arte de contar, ler e ouvir histórias
Bicicleta e mobilidade urbana
Biotecnologia
CineCultS: cinema, cultura e sociedade
De repente rap!
Experimentando com Arduíno
Gastronomia, nutrição e sociedade
Laboratório de Midia
Raciocínio? Lógico!
Teatro como ação social

Saiba mais sobre os projetos em Páginas Relacionadas.