ENSINO FUNDAMENTAL II

Aliança STEAM pelo talento feminino
Estudamos células-tronco com a pesquisadora do CSIC Marta Pérez Pereira –Mulheres científicas

Por: Clara Campos e Julia Sasaki – Alunas do 9º C

Na quarta-feira, 5 de maio de 2021, tivemos uma palestra com Marta Pérez Pereira. A pesquisadora nos falou sobre o cérebro, sua regeneração, sobre neurônios, células-tronco, o funcionamento neurológico de alguns animais e muito mais. A conversa, além de ter contribuído para ampliar de várias formas o nosso conhecimento sobre o assunto, permitiu-nos esclarecer várias dúvidas em relação ao cérebro.

Os alunos de espanhol do 9º ano tiveram a oportunidade de assistir a tal palestra. Como resultado da celebração do Dia Internacional da Mulher e da Mulher na Ciência, desde o dia 13 de abril, estudávamos com a professora Juliana Dios Barreiro o papel fundamental que as mulheres tiveram, têm e devem desempenhar nas disciplinas científicas.

A palestra, além de ter sido interessante pelo conteúdo apresentado, chamou a atenção de muitos alunos pelas interações e respostas que Marta dava a qualquer dúvida que tivéssemos. Além de nos apresentar um PowerPoint, foi criado um link por meio do qual respondíamos às perguntas que ela fazia sobre quais hipóteses considerávamos corretas.

Marta iniciou sua apresentação explicando a diferença entre os termos “teoria” e “tese”. A partir daí, ela formulou uma teoria científica para nós e tivemos que votar, por meio do link, indicando se considerávamos as informações fornecidas como verdadeiras ou falsas. Depois, ela nos justificou se era verdade ou não e os seus motivos. Chamou a atenção essa forma de interagir conosco, principalmente pelo fato de podermos participar, não necessariamente fazendo uma pergunta no final, como normalmente acontece, mas dando a nossa opinião e entendendo mais sobre algo que chama a atenção de muitos alunos.

Outra parte da palestra de que gostamos foi a que tratava da regeneração cerebral. Ela nos perguntou se acreditávamos ser possível regenerar pelo menos parte de um cérebro humano. A maioria respondeu “sim”, mas não sabia bem o porquê. Marta explicou que a regeneração seria um grande avanço para pessoas com doenças como Parkinson, Alzheimer, entre outras, já que normalmente perdem uma pequena parte do cérebro, algum neurônio. Portanto, o fato de poder regenerar implicaria sua cura.

A pesquisadora nos contou que, primeiramente, fizeram pesquisas em animais para ver se as células-tronco se regeneravam e funcionavam. No entanto, quando aplicadas a humanos, os resultados não foram os mesmos.

Essa conversa foi muito boa. Acreditamos que foi uma nova forma de aprender para todos nós, além de nos ter permitido ampliar nossos conhecimentos sobre pesquisas clínicas, doenças, formas de aprender e muito mais.

Marta é pesquisadora do CSIC. Ela estava na Universidade de Stanford, na Califórnia, discutindo o uso de células-tronco na cura de ataques cardíacos. Atualmente, aplica tudo o que sabe sobre isso no Centro de Biologia Molecular Severo Ochoa de Madrid, onde trabalhou com Margarita Salas. Além disso, ela é professora de bioquímica e neurociência na Universidade Autônoma de Madrid e diretora de jovens pesquisadores. Em suma, um exemplo claro do papel que as mulheres devem ocupar na ciência.